CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Domingo, 23 de Julho de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Iridologia

O que é Iridologia


 
A íris é a porção (nesse caso) amarelo-esverdeada ao redor da pupila transparente (na fotografia, em preto). A área branca ao redor da íris é a esclera e a lente transparente anterior à íris e à pupila é a córnea.
 

O estudo da iris do olho de modo a diagnosticar doenças. A iridologia baseia-se na presunção de que cada orgão do corpo tem uma correspondência na iris e que se pode determinar se um orgão é ou não saudavel examinando a iris em vez do próprio orgão. A iridologia é praticada por um naturopata, um quiropata, um homeopata ou um acunpurista, não por um médico tradicional. Estes veem a iris como parte a do olho que regula a entrada da luz. A iris é a parte colorida do olho que tem uma abertura contrátil no centro, a pupila, que permite a entrada da luz até à lente que leva os raios de luz ao foco, formando uma imagem na retina onde a luz atinge rodes e cones, causando a estimulaçãodo nervo óptico e transmitindo impressões visuais ao cérebro. Médicos tradicionais tambem reconhecem que certos sintomas de doenças não oculares podem ser detectados por um exame aos olhos. Até podem reconhecer e achar divertido que Iris era a deusa grega que personificava o arco-iris.

A iridologia foi uma invenção de Ignatz Von Peczely, um médico hungaro do século 19. A história reza que teve a ideia para este meio de diagnóstico quando encontrou uma semelhança entre os olhos de um homem que tinha partido uma perna e os olhos de um mocho a quem ele tinha partido uma perna anos atrás. A semelhança era um traço escuro. A caçada começara. Peczely começou a documentar semelhanças entre as marcas nos olhos e as doenças dos seus pacientes. Outros sábios terminaram o mapa do olho. Um mapa tipico divide o olho em secções, usando a imagem da face de um relógio como base. Por exemplo, se quer saber o estado da glandula tiroidal de um paciente, não precisa de tocá-lo para sentir o aumento desta, nem de fazer análises. A unica coisa que tem a fazer é olhar a iris do olho direito por volta das 2h30 e a iris do olho esquerdo às nove e meia. Descoloração, traços, etc nessas partes dos olhos é aquilo com que tem de se preocupar, para saber o estado da tiróide. Para problemas com a vagina ou o pénis, olhe para as 5 horas do olho direito. E por aí fora. Um iridologista pode examinar com um mapa da iris, uma lupa e uma lanterna.

Há algum suporte cientifico para a iridologia? Não. Porque acreditam as pessoas? Talvez a resposta esteja na parte do olho que reflete a parte do cérebro que está ligada à parte da lógica que está relacionada com t evidências.

Disto isto, não devemos assumir que o estado do olho é irrelevante para o diagnóstico de doenças não ópticas. Contudo, reconhecer sintomas olhando os olhos não é o que a iridologia trata. A iridologia afirma que cada orgão tem a sua contrapartida no olho e que pode determinar o estado do orgão olhando um sector particular do olho. Oftalmologistas podem identificar problemas não oculares examinando os olhos. Se algo suspeito surge, o paciente é encaminhado para um especialista apropriado para exames.

IrisO que é mais peculiar acerca da iris é que cada uma é absolutamente unica e imutável, pelo que se afirma que é uma melhor identificação do que as impressões digitais. Por outro lado, cada iris alegadamente muda com cada estado de cada orgão do corpo. Isto torna-a imutável e num estado de constante fluxo, uma união mágica dos mundos de Parmenides e Heraclito. Penso que isto prova o velho ditado que somos todos o mesmo, apenas diferentes.