CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Domingo, 23 de Julho de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Artigos Diversos

O médico vale muito


Ser médico hoje é, como dito popular, matar vários leões por dia. É brigar pelo fornecimento de remédios, de recursos materiais, por condições de trabalho adequadas, pelo aumento do número de integrantes das equipes hospitalares e por um salário digno. Para tentar mudar essa situação, no início de outubro o Cremerj lançou a campanha “Quanto Vale o Médico?”. O nosso objetivo é, ao lado da sociedade, mostrar ao poder público que chegamos ao fim da linha, porque os limites do caos foram ultrapassados há muito tempo.

Todos os dias a mídia divulga a imersão em um pandemônio sem fim da rede pública brasileira. Dados mostram que milhões de reais são mal empregados pela administração da União, dos Estados e dos municípios e outros milhões são desviados. Entra governo e sai governo e tanto a população quanto os médicos continuam à mercê de promessas e decepções políticas. Porque, ao contrário do que muitas autoridades dizem, os médicos são tão vítimas dessa crise quanto à sociedade. Atuamos em péssimas condições nos hospitais, nas casas de saúde e nas maternidades, e, na maioria das vezes, sequer contamos com o básico para poder fazer o nosso trabalho. Faltam materiais para exames, recursos humanos, medicamentos. Nós somos médicos, não somos milagreiros. Precisamos de condições e de ferramentas para trabalhar, como qualquer profissional.

Como não poderia deixar de ser, uma das bandeiras da nossa campanha é a questão salarial. Estudamos muito e damos nossa vida à Medicina, mas quando ingressamos no mercado de trabalho, nos deparamos com um salário de R$ 1.300,00 na rede pública. Isso é ultrajante. Muitos colegas que entram no setor não ficam, e outros acabam tendo mais de um emprego para conseguir somar renda para ter um padrão de vida financeiro normal. E aí encontramos outros problemas, pois é preciso, por exemplo, tempo para estudar, para se desenvolver profissionalmente. Contudo, com vários empregos é difícil fazer cursos e especializações e muitos médicos ficam sem tempo para si e para sua família. E isso é desumano. Há pouco tempo, chegamos ao ponto de receber uma proposta com um ínfimo reajuste parcelado em 24 vezes, como se o nosso trabalho fosse equivalente a um eletrodoméstico. Para nós, isso é desrespeito, é absurdo.

Lançamos o site www.quantovaleomedico.com.br, onde podem ser encontradas notícias, fotos, agenda de atividades, abaixo-assinado e todos os dados sobre a campanha. Com essa iniciativa do Cremerj, afirmamos a missão de transformar o nosso cotidiano em batalhas diárias para reivindicar condições de trabalho e salários decentes. Não admitimos ser responsabilizados pela péssima situação da rede pública. E sonhamos, sim, que o poder público faça o que é preciso ser feito: fornecer saúde de qualidade à sociedade e dignidade a quem luta todos os dias por ela.

E por tudo isso nós valemos muito. Muito.

Fonte: Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro-Cremerj - Revista SBO