CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Quarta, 22 de Novembro de 2017 - Boa tarde!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Qualidade de Vida

O futuro já é presente


Mudanças demográficas forçam a humanidade a rever valores

A longevidade é um fato consumado que deve marcar a história da humanidade no século XXI e todos precisam estar preparados para a nova realidade: A população, as empresas e os governos. Essa afirmação foi unanimidade entre os quatro palestrantes que conduziram o I Fórum da Longevidade, realizado pela Bradesco Vida e Previdência em São Paulo.

O Fórum foi uma iniciativa pioneira, concebida com o propósito de levar o público a refletir sobre a preparação necessária para enfrentar a grande mudança que vem ocorrendo na configuração demográfica brasileira e mundial.

Para se ter uma idéia do que representa a longevidade, as projeções do IBGE apontam para um universo de 64 milhões de sexagenários no Brasil em 2050, ou 24,66% da população. Os números são bastante expressivos, principalmente se considerarmos que em 2005 apenas 9% da população tinha mais de 60 anos de idade (16,3 milhões).

“No período de 1919 a 2006, as pessoas passaram a viver mais 29 anos, em média”, afirmou na abertura do evento Luiz Carlos Trabuco Cappi, Vice-presidente do Banco Bradesco e Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência. “A questão agora não é apenas viver mais, mas sim viver mais e melhor, considerando de forma integrada todos os aspectos: físico, mental, espiritual e financeiro.”

Para o médico Alexandre Kalache, um dos palestrantes do evento, embora o aumento da longevidade seja uma boa notícia, a realidade do sistema educacional e da saúde pública no Brasil, além da degradação do meio ambiente, ainda impedem que este fato seja comemorado por aqui, “O mundo desenvolvido tornou-se rico antes de envelhecer. O Brasil, ao contrário, está se tornando velho antes de conquistar a riqueza”, alertou Kalache.

O I Fórum da Longevidade abordou todas essas questões, além da importância do planejamento financeiro para que as pessoas possam usufruir dos anos a mais que conquistaram. Os temas foram apresentados por quatro palestrantes: Alexandre Kalache, médico e chefe do Programa de Envelhecimento e Saúde da Organização Mundial de Saúde; o economista e filósofo Eduardo Giannetti da Fonseca; o professor de Geriatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) João Toniolo Neto e o consultor em Recursos Humanos Marco Aurélio Ferreira Vianna.

Fonte: Informe Publicitário - Revista Veja