CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Terça, 12 de Dezembro de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Exercícios Oculares

Método Bates

William Horácio Bates, nasceu em Newark, New Jersey em 1860. Recebeu seu diploma de médico no Colégio de Médicos e Cirurgiões em 1885. Ele praticou a oftalmologia tanto em âmbito privado como também trabalhou em diversos hospitais, incluindo o “Manhattan Eye and Ear Hospital” e “New York Eye Infirmary”. Foi assistente, por muitos anos, em oftalmologia no “New York Postgraduate Medical School and Hospital”, e fez consultoria médica em New York. De 1907 a 1922, trabalhou em ambulatório do “Harlem Hospital”, tendo escrito importantes trabalhos em jornais médicos.

Na sua prática, foi ficando insatisfeito com o tradicional tratamento sintomático dos olhos. Procurando um substitutivo para as lentes artificiais, ele se pos a estudar e tentar descobrir alguma maneira de reeducar a visão imperfeita para uma condição de normalidade. Como resultado deste trabalho, com um grande número de pacientes, ele chegou à conclusão de que a grande maioria dos defeitos de visão eram funcionais e devido a hábitos visuais errôneos, esforço e tensão. Através de técnicas apropriadas, estas condições poderiam ser aliviadas, quando os pacientes aprendessem a usar seus olhos de uma maneira relaxada, melhorando a visão e os erros de refração sendo corrigidos. Hábitos saudáveis substituindo os velhos hábitos.

Através de observação clínica, experiências em laboratórios e experiência pessoal, ele sintetizou dizendo:

“Visão normal é intrinsecamente variável. Visão imperfeita pode ficar melhor ou pior. Baixa visão e doença ocular estão intimamente relacionadas. Visão é um indicador de saúde física, mental e emocional”.

Seu método inclue uma teoria especial que explica o comportamento físico do olho para formar a imagem de um objeto. Uma teoria geral do ato de ver dentro de um contexto holístico em que há uma atividade da mente, do corpo e do espírito, e não somente do olho. As técnicas práticas para um comportamento normal dos olhos e reeducação em hábitos normais de uso através do:

  1. Relaxamento, consciência do esforço para ver e aceitação do que é visto.
  2. Consciência e atenção.
  3. Memória e imaginação.
  4. Integração da função cerebral.

O método é valioso para todos os tipos de desordem visuais, pois é baseado em restaurar e assegurar a função natural dos olhos. O método sugere deixar os óculos de lado, aprender a relaxar os olhos, aprender a focar a atenção e ao mesmo tempo evitar esforços para ver, desenvolver visão central diretamente através de discriminação visual e indiretamente através da experiência do movimento:

  • Descanso dos olhos (fechar os olhos e concentrar o pensamento em algo agradável).
  • Empalmar.
  • Balanço.
  • Memória.
  • Imaginação.
  • Piscar.
  • Fixação Central.
  • Exposição ao Sol

A atitude segundo Aldous Huxley, em seu livro de Art of Seeing, deve ser a seguinte:

Cultive uma atitude de confiança combinado com indiferença. Confiança na sua capacidade de fazer o trabalho e indiferença a um possível fracasso.

Deve estar seguro de que em algum momento, se fizer uso dos meios adequados e exercitar a paciência, conseguirá resultados.

Para a pessoa com baixa visão, a atitude mental correta deve ser expressa da seguinte maneira:

“Eu sei, teoricamente, que a visão imperfeita pode ser melhorada. Eu estou certo de que o fato de aprender a arte de ver pode melhorar minha visão defeituosa. Eu estou praticando a arte de ver como eu vejo agora, e é provável que eu verei melhor do que eu já vi; mas se eu não ver tão bem quanto eu espero, eu não me sentirei infeliz ou deprimido, mas continuarei em frente até que uma visão melhor chegue para mim”.

Fonte: CPVI