CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Domingo, 23 de Julho de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Qualidade de Vida

Estresse diário causa fadiga ocular


Levantamento internacional revela que mal afeta 60% das pessoas com menos de 45 anos.

O estresse tem sido a causa de boa parte das doenças provocadas pela agitação do mundo moderno. Constantes dores de cabeça e ardência nos olhos também podem ser sintomas causados por ele, denunciando a fadiga ocular, mal que atinge tanto os usuários de óculos quanto os não usuários que passam por períodos prolongados focalizando objetos a curta distância, como por exemplo, trabalhando no computador. “Manter o olhar fixo na tela do computador não é tarefa fácil para os olhos, pois exige um esforço constante de focalização na visão de perto e na visão intermediária”, explica o oftalmologista Marcus Sáfady, consultor do Instituto Varilux da Visão.

Segundo ele, muitas vezes as imagens do computador são pequenas e exibidas por trás de uma superfície refletora. “Além disso, as bordas irregulares dos pixels da tela do computador são mais difíceis de focalizar do que as bordas lisas das letras tipográficas dos livros. Acrescente a estes fatores o brilho, o reflexo e a iluminação ambiente e é possível entender como o uso prolongado da tela de um computador pode ser exaustivo", esclarece Sáfady. O ambiente em que a atividade é desempenhada também pode ter um impacto negativo sobre o conforto visual. A qualidade e a quantidade da iluminação ambiente, a ventilação, poeira e fumaça de cigarro são outros fatores agravantes.

Solução

Atenta ao problema, a multinacional francesa Essilor, fabricante das lentes multifocais Varilux, está lançando no Brasil as primeiras lentes oftálmicas que corrigem a fadiga ocular, a Essilor Anti-Fatigue. Segundo o presidente da empresa no país, Laurent Schmitt, o lançamento é resultado de inúmeros estudos, como um recente levantamento internacional, apontando que 60% das pessoas entre 20 e 45 anos de idade — tanto usuários de óculos quanto não-usuários — declararam que sofrem de fadiga ocular quase que diariamente. “A lente Essilor Anti-Fatigue é o alívio imediato para o usuário”, afirma.

Já o diretor de marketing da Essilor, Charles-Eric Poussin, a Essilor Anti-Fatigue faz parte de uma nova geração de lentes oftálmicas e representa um grande avanço tecnológico. “Graças ao seu projeto inovador, elas são as primeiras lentes no mundo a abordar a condição de fadiga ocular que afeta grande parte da população, criando uma categoria totalmente nova de lentes ergonômicas”, afirma, acrescentando que a Essilor possui mais de 450 pesquisadores distribuídos em três centros de Pesquisa e Desenvolvimento exclusivos – França, Estados Unidos e Singapura. A empresa realizou lançamentos pioneiros no mundo, como a lente Varilux Pix, a menor lente multifocal do planeta; a Varilux Ipseo, lente tão personalizada que vem com as iniciais do usuário gravadas, e a recente Varilux Physio, a primeira lente produzida através de processo totalmente digital.

Sintomas da fadiga

Para Marcus Sáfady, os primeiros sintomas podem se manifestar menos de uma hora após o início da atividade. “Quando o olho focaliza um objeto a curta distância, ele faz ajustes imperceptíveis e incontroláveis para obter o foco, como, por exemplo, uma câmera digital fazendo o zoom. Esses ajustes são chamados de microflutuações da acomodação visual. E são realizados através das contrações de um músculo dentro do olho. Como todo músculo, o esforço contínuo leva ao estresse excessivo das funções oculares e ao cansaço, com isso o olho fica incapaz de promover o foco exato, ocorrendo então os sintomas da fadiga ocular – dificuldade de foco, cansaço, entre outros”, explica.

Fonte: