CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Terça, 12 de Dezembro de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Homeopatia

Conheça a homeopatia


Homeopatia – termo criado pelo médico alemão Dr. Samuel Hahnemann em 1796 para designar a ciência médica que tem por base a aplicação de uma terapêutica centrada na similitude e nas doses mínimas.

A similitude proposta pelo Dr. Hahnemann busca estabelecer uma correspondência entre a sintomatologia apresentada pelo paciente e a sintomatologia desenvolvida por um medicamento quando experimentado no homem são.

Para que uma substância possa se transformar em um medicamento homeopático é necessário:

1) que ela seja preparada segundo os critérios estabelecidos pela farmacotécnica homeopática, que consiste em diluição e dinamização. A diluição homeopática é feita, freqüentemente, na proporção de 1 gota da substância (remédio) em 99 gotas do diluente (água). Esta diluição objetiva evitar o efeito secundário da substância, como por exemplo: colocando-se a mão em um recipiente com água fria, a reação primária do organismo é de vasoconstrição dos vasos sanguíneos e a reação secundária é de vasodilatação. Dinamização é o nome do processo de agitação a que cada diluição é submetida (em geral, 100 agitações por diluição), com o objetivo de liberar o poder curativo do substância no diluente.

2) que este medicamento seja levado um processo de experimentação no indivíduo sadio para se conhecer os sintomas que são desencadeados por esta substância, como se fosse um processo de intoxicação.

O tratamento homeopático visa estimular o organismo a reagir, promovendo uma reorganização do equilíbrio orgânico.

A reação à medicação é imediata, o que contraria o conceito popular de que a ação do remédio homeopático é em longo prazo. O acompanhamento do paciente é feito com base em leis e regras que orientam o médico no diagnóstico e no prognóstico da evolução clínica.

A Homeopatia é uma especialidade médica e os profissionais habilitados a prescreverem medicamentos homeopáticos são os médicos, os veterinários e os dentistas. Na atualidade surge uma nova utilização da homeopatia na agronomia. A farmácia homeopática deve ter a orientação de um farmacêutico com especialização em homeopatia.

“Homeopatia – origem”
A Homeopatia foi criada pelo médico alemão Samuel Hahnemann, em 1796, com o objetivo de oferecer aos pacientes um tratamento rápido, seguro e duradouro em relação aos tratamentos médicos da sua época.

“Homeopatia – a cura pelos semelhantes”
A palavra Homeopatia é de origem grega que significa doença semelhante. Para uma substância ser utilizada no tratamento homeopático, ela deve ter a capacidade de produzir os mesmos sintomas que desejamos curar no paciente, “o que causa uma doença pode também curá-la”.

“Homeopatia – equilíbrio da saúde”
O tratamento homeopático tem por objetivo restabelecer o equilíbrio da saúde do paciente na sua totalidade, por este motivo, o clínico homeopata não investiga somente os sintomas isolados. Ele procura tratar o paciente como uma unidade funcional biopsicosocial – bio (biológico) representado pelo corpo físico; psico (psicológico) onde inclui-se a mente, as emoções, a capacidade intelectual; e social como resultado da influência do meio ambiente e social sobre o indivíduo. É daí que vem a afirmativa que a “Homeopatia trata o doente e não a doença”.

“Homeopatia – tratamento individual”
A escolha do medicamento deverá levar em consideração, sempre, a individualização do paciente, ou seja, o clínico homeopata além de identificar a doença do paciente, ele também pesquisará a maneira particular desta pessoa adoecer, fazendo perguntas sobre os seus hábitos, preferências alimentares, reações ao clima, características do sono e sonhos marcantes, o estado de humor, medos, angustias, temperamento, etc. Estas peculiaridades indicarão o medicamento mais adequado para cada paciente. Em um grupo de pacientes com o mesmo diagnótisco clínico, provavelmente, cada paciente receberá um medicamente diferente.

“Homeopatia – medicamento diluído e dinamizado”
O medicamento a ser utilizado no tratamento de uma doença pode ser de origem vegetal, mineral ou animal, e será administrado em doses muito diluídas, preparadas através de uma técnica exclusiva da farmácia homeopática. A substância passará por um processo de diluição e agitação (dinamização) sucessivas até atingir a “potência” prescrita pelo clínico homeopata.

“Homeopatia – necessita orientação adequada”
Como qualquer remédio, o medicamento homeopático pode fazer mal quando utilizado sem uma orientação adequada, ou seja, sem a correta individualização do paciente e do remédio pelo clínico homeopata.

“Homeopatia – uma especialidade médica”
A Homeopatia é uma especialidade médica, farmacêutica e veterinária, reconhecida pelos Conselhos Federais de Medicina, Farmácia e Medicina Veterinária. Ela também é exercida pelos dentistas e está em processo de reconhecimento no Conselho Federal de Odontologia.