CPVI - Centro de Pesquisa da Visão Integrativa

Tel: (11) 3256 3368

E-mail: cpvi@cpvi.com.br

Domingo, 23 de Julho de 2017 - Bom dia!
Óculos / Lentes
Acupuntura
Artigos Diversos
Baixa Visão
Cirurgias Oculares
Dependências
Editorial
Espiritualidade
Exercícios Oculares
Funções dos olhos
Homeopatia
Iridologia
Medicina psicossomática
Palestras
Qualidade de Vida
Vídeos
Eventos
Links
Depoimentos
Faça sua adesão na CPVI

Óculos / Lentes

Como escolher seus óculos

A melhor maneira de escolher um óculos não é olhando na vitrine e imaginando como o modelo ficaria em seu rosto. A maioria dos estetas óticos desaconselham esta prática, pois às vezes o que nada lhe diz na mão é perfeito no rosto e vice-versa. Claro que conforto é indispensável e que o próprio usuário tem o direito à escolha, mas é necessário levar em consideração vários detalhes, como a cor da pele, formato de rosto e até mesmo detalhes da personalidade do usuário.

O trabalho de um esteta ótico consiste em analisar a tez e a expressão e fazer com que a armação venha a contornar ou delinear todos os auxiliares de expressão, para ter o óculos como mais um acessório deste conjunto.

Daremos algumas dicas para quem quer acertar em cheio na opção e, como ponto primordial, destacamos a escolha das lentes. O que chama atenção ao lado negativo dos óculos são as lentes, porque estas se sobrepõem à expressão fundamental do ser, que são os olhos.

Do universo de míopes e hipermétropes, certamente os que possuem maior grau é que compõem o volume principal dos que fariam tudo para não ter de se expor com seus óculos “fundo de garrafa”. Hoje, porém, graças à tecnologia, este constrangimento pode ser afastado. As lentes, mesmo com altos graus, já são bem mais finas e discretas. Para essas pessoas aconselhamos não usar modelos grandes, pois eles acentuam ainda mais o problema nas vistas.

Para quem tem pele clara recomenda-se: as introvertidas nunca devem usar cores muito contrastantes com a pele. De preferência optar por tons pastéis. Morenas e extrovertidas podem ousar e brincar com as cores desde que os graus não sejam muito elevados.

Mas o segredo para todos os usuários é o óculos ter um apoio perfeito, bem anatômico no nasal. Porque aí vem o conforto, o equilíbrio do rosto. Ele é o cavalete do óculos.” E pode até parecer pouco significativo. Mas experimente reparar como fica o nariz com cada armação. “Muito cuidado para os nasais grandes. Neste caso deve-se usar pontes (apoio) baixas e claras, para não demarcar ainda mais o nasal”, alertam os estetas.

Quanto às sombrancelhas, fica a dúvida: usar os óculos acima ou abaixo das mesmas? O primeiro tipo é recomendado para quem tem testa pequena. “De preferência, deve-se usar uns dois ou três milímetros abaixo.” Para as pessoas com testa grande, podem ser simplesmente delineados à sombrancelha.”

E se você é do tipo que foge dos óculos porque acredita ficar com mais olheira, o esteta avisa que as armações rasas são um grande atenuante. “Essa regra vale para todos os tipos de rosto, do oval ao retangular.” Os estetas também atentam para um detalhe importante: a armação nunca deve ultrapassar o contorno do rosto. Portanto, nada de modelos largos, que fiquem com “pontas” nas laterais. Isso achata o rosto.

A esta altura você deve estar se perguntando: e o tipo de rosto, não conta? Claro que sim. Os grandes e largos pedem armações mais discretas. “Nunca usar aros demasiadamente grandes, para não fazer com que o rosto aparente ser ainda maior.” Pessoas com rostos pequenos “podem brincar com o tamanho”.

Moda

A grande tendência de moda, agora, são as armações claras e foscas. O titânio e os materiais ferrosos, com níquel free (anti-alérgicos), estão em alta. Óculos de fibra de vidro e de algodão (anti-alérgico e bastante leves) são os indicados para quem tem nariz sensível que não tolera plaquetas usadas nos modelos de metal. Promessa de sucesso é a linha da Charmant, distribuída pela FC-18. As peças são anti-alérgicas, pesam apenas quatro gramas (as mais leves) e são produzidas em cores nobres.

Lentes

A moda pede lentes super incolores. Óculos escuros também podem ter a lente com grau mas, neste caso, recomenda-se usar modelos mais atuantes, para serem perfeitos para todo tipo de ocasião. Para fugir do complexo “fundo de garrafa”, os especialistas produzem lentes superfinas.

Fonte: Jornal o Estado de São Paulo